sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

um dia depois do outro

Olho para a folha em branco.
Nada vem de inspiração.
Minha respiração acentua-se.
Sinal de tristeza.
Tristeza do que? De quem?
Não sei ou não quero saber.
O que sei é que, agora,
a folha preenche-se
da tristeza que não consigo
mandar embora.
Então, pego tela, pincéis,
pinto uma lágrima cinza,
escorrendo pelo meu rosto
sem sorriso, caindo em minhas
mãos sem abrigo.
É entardecer, a noite vem vindo.
Olho o que pintei e digo:
Amanhã quero pintar alegria,
que venha o outro dia!

Um comentário:

Lara disse...

Que assim seja amiga... e que muitos outros dias venham, e que pintes alegrias, sonhos, realizações e muito amor!
Beijocas